68º Congresso Brasileiro de Coloproctologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TAXA DE DETECÇAO DE ADENOMAS COLORRETAIS AUMENTA COM CRIAÇAO DE SERVIÇO AMBULATORIAL DE COLOPROCTOLOGIA

Objetivo(s)

Avaliar a Taxa de Detecção de Adenomas (TDA) colorretais após a criação de ambulatório universitário de coloproctologia.


Método

Este é um estudo observacional, retrospectivo e descritivo, para avaliar a Taxa de Detecção de Adenomas (TDA) colorretais, associando-a à faixa etária e o sexo dos indivíduos. Foram criados 2 grupos. Grupo A, aqueles referentes ao período de janeiro de 2013 a dezembro de 2017, época que não havia serviço ambulatorial universitário de coloproctologia e Grupo B , contemplando janeiro de 2018 a maio de 2019, quando o serviço já estava estruturado .
TDA é a percetagem de adenomas, histologicamente comprovada, encontrada nas colonoscopias desempenhadas em um serviço. As colonoscopias analisadas foram realizadas por dois coloproctologistas e os pacientes foram selecionados por meio do laudo, na qual cita-se a presença de pólipos ou lesões plano-elevadas. Os exames histopatológicos também foram recuperados. Foram critérios de exclusão: diagnóstico prévio de neoplasia colorretal, exames incompletos, polipectomias não realizadas, pólipos não recuperados e indisponibilidade dos resultados histopatológicos.

Resultados

Aplicados os critérios de exclusão, 130 pacientes foram retirados do grupo A , que passa a ter um (N=776) e 152 do Grupo B, constituíndo (N=276). O Grupo A possui 274 pacientes do sexo masculino e 502 do sexo feminino. Em 199 deles foram identificados pólipos, 7 amostras entre as mulheres e 4 entre os homens não correspondiam a adenomas. No sexo masculino, 88 possuíam pólipos, o que é equivalente a 32,1%. Em relação ao sexo feminino, a detecção de pólipos ocorreu em 100 exames, correspondendo a 19,9%. No sexo feminino encontram-se : 28 pólipos hiperplásicos (28%); 4 pólipos inflamatórios (4%); 1 hamartoma (1%); 51 adenomas tubulares (51%); 9 adenomas túbulo-vilosos (9%); 4 adenomas vilosos (4%); e 3 adenomas serrilhados (3%). Já no sexo masculino, constatou-se: 19 (21,6%) pólipos hiperplásicos; 7 (7,9%) pólipos inflamatórios; 47 (53,4%) adenomas tubulares; 8 (9,1%) adenomas túbulo-vilosos; 1 (1,1%) adenoma serrilhado; e em 6 (6,8%) pólipos o resultado correspondia a uma neoplasia maligna. TDA= 15,8% No grupo B, de 276 colonoscopias analisadas, 95 do sexo masculino e 181 do sexo feminino, foram identificados 104 pólipos (37,6%), sendo 57 no sexo feminino (31,4%) e 47 no sexo masculino (49,4%). Dentre esses, no sexo encontraram-se: 13 pólipos hiperplásicos (30,2%), 2 pólipos inflamatórios (0,04%), 21 adenomas tubulares (48,8%), 8 adenomas túbulo-vilosos (18,6%), 1 adenoma serrilhado (0,02%) e 4 correspondiam a doença inflamatória (0,09%). Em indivíduos do sexo masculino, foi constatado: 6 pólipos hiperplásicos (17,1%), 21 adenomas tubulares (60%), 10 adenomas túbulo-vilosos (28,5%), 1 adenoma serrilhado (0,02%), 3 correspondiam a doença inflamatória (0,08%) e 1 a neoplasia maligna (0,02%).TDA=22,4%

Conclusão(ões)

A Taxa de detecção de adenomas aumentou com a criação de serviço ambulatorial de coloproctologia

Área

Doenças malignas e pré-malignas dos cólons, reto e ânus

Autores

Fábio Henrique Oliveira, Raquel Coimbra Dias, Fernanda Elias Ferreira Rabelo