68º Congresso Brasileiro de Coloproctologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

KRUKENBERG GIGANTE SECUNDARIO A NEOPLASIA DE SIGMOIDE

Objetivo(s)

Um tumor de Krukenberg é definido como uma metástase ovariana de um adenocarcinoma gastrointestinal e sugere uma condição terminal. Até 30% das neoplasias ovarianas são de fato tumores metastáticos, com o estômago e o colorretal sendo entre os sítios mais comuns da origem. Krukenberg foi relatado em 3-14% das mulheres com câncer colorretal.

Descrição do caso

Paciente feminino, 24 anos, previamente hígida, com queixa de dor pélvica e aumento de volume abdominal há aproximadamente 4 meses. Negava emagrecimentos ou alteração do hábito intestinal. Sem história familiar de câncer colorretal. A tomografia de abdome revelou presença de lesão expansiva volumosa medindo cerca de 17 x 11 x 19 (2.024cm³), em região anexial esquerda, com compressão de vasos retroperitoneais, associada a espessamento da parede do cólon sigmóide. Á colonoscopia foi revelada lesão vegetante em sigmóide impossibilitando a passagem do aparelho, as biópsias foram compatíveis com adenocarcinoma moderadamente diferenciado do tipo intestinal. Diante dos achados foi aventada a hipótese de neoplasia de cólon sigmóide com metástase para ovário, configurando o Tumor de Krukenberg. Paciente foi submetida a laparotomia exploradora com ressecção do implante gigante do ovário esquerdo e realizado retossigmoidectomia oncológica com colostomia terminal de cólon descendente. O anatomopatológico confirmou a origem intestinal do implante ovariano, presença de metástase em 6 de 33 linfonodos, ausência de células neoplásicas no líquido ascítico, configurando um T3N2M1. Após a ressecção cirúrgica a paciente apresentou melhora importante do estado geral, sendo encaminhada para tratamento quimioterápico com Leucovorin, 5 Flouracil e Oxaplatina.

Discussão e Conclusão(ões)

A presença de krukenberg indica doença maligna extensa dentro da cavidade abdominal. As seguintes características são necessárias para o diagnóstico: envolvimento estromal, células em anel de sinete neoplásicas produtoras de mucina e proliferação de sarcomatóide estromal ovariano. O prognóstico para esse tipo de tumor é tão ruim que a maioria dos pacientes morre dentro de um ano após o diagnóstico de metástase. Medicamentos quimioterápicos que oferecem melhores taxas de resposta tumoral em malignidades colorretais, geralmente têm baixa atividade antineoplásica nos ovários, que atuam como um “santuário metastático” para as células cancerígenas. Intervenção cirúrgica pode, portanto, representar uma alternativa razoável para o manejo da doença metastática ovariana que é insensível para esses agentes.
O tumor de Krukenberg é considerado uma doença em estágio terminal com prognóstico ruim e pode ser responsável por 30 a 40% dos cânceres metastáticos nos ovários. O tratamento de escolha é a ressecção cirúrgica sempre que possível, haja visto que esses tumores não respondem aos agentes quimioterápicos.

Área

Doenças malignas e pré-malignas dos cólons, reto e ânus

Autores

Katyara Rodrigues Fagundes, ÍTALO FILIPE CARDOSO AMORIM, POLLIANE MIRANDA MOTA, RUY FERNANDES AZEVEDO, DORIVAL BARBOSA CARMO, MATIEL RODRIGUES FAGUNDES, EMERSON ABDULMASSIH WOOD SILVA, LUCIANO RICARDO PELEGRINELLI